13 jogos de terror para se ficar “de olho”

13 jogos de terror para se ficar “de olho”

Você já se perguntou por quê gostamos de filme de terror? Os cientistas ainda não chegaram a uma conclusão, mas segundo um professor de psicologia da Universidade de Utrecht na Holanda, Jeffrey Goldstein, os filmes de terror liberam uma descarga de adrenalina ao observar uma situação horrível e apavorante a uma distância segura.

Muito provável que o mesmo aconteça com os jogos eletrônicos, visto que eles garantem uma experiência ainda mais imersiva graças a interatividade, o que aumenta ainda mais os sustos e o “desespero” em situações de perigo. Fora que o avançar da tecnologia permite maior realismo, e portanto fica mais fácil aguçar os sentimentos de medo e sustos do jogador.

Pensando nisso, a redação da Epic Play Brasil resolveu selecionar 13 grandes jogos de terror promissores das datas entre 2015 e 2016. Lembrando que não estão em ordem de importância.

13. Forgotten Memories (PC, iOS, Wii U, PSVita)

[youtube id=”MU-UTbmlQK0″ aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Querendo misturar um pouco do estilo clássico e moderno do gênero survival horror, Forgotten Memories usará um “sistema de medo”, que provavelmente será similar ao de Clock Tower 3, deixando a protagonista Rose Hawkings vulnerável.

O jogo se passa num hospital psiquiátrico, e você terá que resolver enigmas e escapar de monstros até achar a saída do hospício. Alguns jogadores supõe que o jogo talvez se passe dentro da mente doentia da própria protagonista, que cria ilusões macabras e deve ter algum tipo de doença. Se sim ou se não, só saberemos ao jogar.

12. Fatal Frame V (Wii U)

[youtube id=”6YZiZdya9eo” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Levando uma eternidade para vir ao ocidente, como a esperança é a “última que morre”, nós da EPIC também adoraríamos que o clássico do Wii U saísse por aqui, igualmente.

Para quem não conhece a série, Fatal Frame é uma série iniciada no Playstation 2 e nos remete aos típicos filmes de terror japonês, sendo que você é equipado somente com uma câmera fotográfica que pode dissipar os espíritos que assombram casas abandonadas ou lugares macabros. O quinto título tem fama de ser mais uma ótima adição para a série, com personagens inéditos, e o uso do gamepad do Wii U como a câmera dos três protagonistas. Só nos resta esperar uma versão ocidental.

11. Dying Light (PC, Mac, Xbox One, PS4)

[youtube id=”a_ZCopEkQJ0″ aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Diferente dos outros da lista, este aqui foi lançado há algumas semanas e recebeu boas avaliações da mídia e do público. Sendo um jogo de mundo aberto em primeira pessoa numa cidade apocalíptica, os jogadores precisam passar por toda a cidade procurando suprimentos, fugir dos zumbis, além de ter combates com armas de fogo.

O jogo ainda conta com o sistema de dia e noite, e como era de se esperar, a noite o jogo fica mais difícil e os inimigos mais perigosos. O consenso entre os críticos é que Dying Light tem bons gráficos, modo multiplayer divertido, combates dinâmicos, missões alternativas legais, além de uma história que flui bem e prende o jogador.

10. Until Dawn (Playstation 4)

[youtube id=”QD5S_kelW5Q” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Um grupo de oito adolescentes passarão a noite numa pequena casa abandonada numa ilha isolada para homenagear o aniversário de morte de um de seus amigos. No meio da festa, eles eventualmente percebem que estão sendo perseguidos por um serial killer macabro.

O jogo é uma homenagem aos filmes de terror “trash” e previsível (e que todo mundo adora). Inicialmente planejado para o PS3, a desenvolvedora Supermassive Games transferiu o projeto para o PS4 visando explorar ao máximo a capacidade gráfica do mesmo para uma experiência mais imersiva. Além disso, nos prometeram uma jogabilidade inovadora, usando o controle DualShock de modo nunca antes visto! É esperar pra ver.

9. Doom (PC, PS4, XOne)

[youtube id=”KyawH9WFG70″ aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

O clássico jogo que popularizou o gênero tiro em primeira pessoa voltará a “ativa” depois de onze anos sem nenhum título inédito. Planejado inicialmente para ser “Doom 4?, a id Software eventualmente mudou de ideia e resolveu renomeá-lo somente para “Doom”, nos levando a crer que teremos um reboot da série.

De início não se teve muitas informações, mas foi confirmado que haverá novas mecânicas de combate, movimentos finalizadores, a possibilidade de arrancar o braço de alguém e usá-la para abrir uma porta biométrica, além de movimentos como pulo duplo. O jogo está prometido desde 2007, mas parece que desta vez ele sairá definitivamente.

8. Her Story (iOS, PC, Mac)

[youtube id=”wldus8AVdOM” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Sem dúvidas, o jogo mais diferente desta lista. Idealizado por Sam Barlow, o mesmo de Silent Hill:Shattered Memories e Ailse, Her Story te bota no papel de um policial que deve desvendar um crime fazendo investigações e entrevistando a suspeita interpretada por uma atriz da vida real. Ainda não se sabe exatamente como será a jogabilidade, mas conceitualmente parece interessante.

7. Outlast 2 (plataformas não divulgadas)

[youtube id=”vixpxLikP3U” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Por enquanto não sabemos quase nada sobre Outlast 2, porém se seguir o caminho do primeiro lançado em 2013 tem tudo para ser mais um ótimo jogo de terror. O primeiro foi muito elogiado pelo gameplay de survival horror em primeira pessoa e uma narrativa que “flui” muito bem. Já no segundo, o co-fundador do estúdio, Phillipe Morin, confirmou que o jogo terá um estilo mais “detetive”, com novos personagens, novos locais, e alcançará novos patamares.

6. H1Z1 (PC, PS4)

[youtube id=”nE–rFTBLzU” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Sendo um MMO desenvolvido pela Daybreak Game company, H1Z1 já está com sua versão beta disponível para download. O objetivo é sobreviver a um apocalipse zumbi na área rural dos Estados Unidos, sendo que o foco é trabalhar em equipe com outros jogadores para dar conta de sobreviver. Também foi confirmado que não há “safe zones”, que são as áreas comuns em MMO onde o jogador pode ficar seguro para descansar, sair do jogo, etc, aumentando ainda mais o desafio e a tensão.

5. SOMA (PC, PS4)

[youtube id=”IlgvS4qWECU” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Desenvolvida pela sueca Frictional Games, a mesma de Penumbra e Amnésia, SOMA é um jogo de survival horror em primeira pessoa que se passa num centro de pesquisa sub-aquático. Parece que o objetivo é fugir do local, visto que os experimentos do centro fizeram com que várias criaturas horrendas surgissem. SOMA está sendo desenvolvido desde 2010, e será distribuído digitalmente.

4. Bloodborne (PS4)

[youtube id=”G203e1HhixY” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Idealizado por Hidetaka Miyazaki, a mesma mente por trás do Demon´s Souls e Dark Souls, Bloodborne é um jogo de ação hack and slash com elementos de RPG. Mas por quê ele está nesta lista de jogos de terror? Graças a sua ambientação sombria, se passando nas ruínas da cidade de Yharnam que tem seus cidadãos transformados em criaturas horríveis e deformadas graças a uma doença que se espalhou pelo local.

Segundo Miyazaki, o jogo carrega o “DNA de Demon´s Souls no design das fases”, e o estilo gótico vem do livro “Dracula de Bram Stroker”.

3. Kodoku (PS4 e PSVITA)

[youtube id=”c7E2TSAgHSI” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Diferente dos jogos tradicionais de terror que buscam ao máximo o realismo para uma experiência mais imersiva, Kodoku vai para o “outro lado” e tem um estilo mais anime, mas nem por isso menos macabro. Sabemos muito pouco sobre ele, mas ele é inspirado na mitologia japonesa, e foi confirmado que será um jogo bem variado e com uma jogabilidade diferente também. É esperar pra ver!

2. Summer Camp (PC, PS4, XOne)

[youtube id=”MU-UTbmlQK0″ aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Homenageando o clássico filme de terror dos anos 80 Sexta Feira 13 escrito por Victor Miller (…uma grande coincidência em relação ao nome de quem vos escreve!), Summer Camp te dará a possibilidade de escolher entre o serial killer, ou uma das vítimas dele. Pouco se sabe sobre sua jogabilidade, mas foi confirmado que teremos cenários amplos como floresta, lago e casa abandonada. Dois grandes nomes do cinema de horror estão na lista: Tom Savini como um dos desenvolvedores e Harry Manfredini na trilha sonora, sendo que este também compôs a trilha do Sexta Feira 13.

1. Resident Evil Revelations 2 (PS3, PS4, PSVITA, PC, X360, XOne)

[youtube id=”zUht9faFnm0″ aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”810″]

Depois do sucesso do primeiro Revelations, nada mais natural que um segundo título da sub-série de Resident Evil. Se passando entre os títulos 5 e 6, o jogo trará de volta os protagonistas Claire Redfield (Resident Evil 2 e Code Verônica), e Barry Burton (Resident Evil 1), além dos personagens inéditos Moira, filha do Barry, e Natalia Korda, ambos sendo personagens de suporte. Com possibilide de gameplay cooperativo, Resident Evil Revelations 2 foi distribuído em mídias digitais em quatro episódios separados, e em mídia física com todos os episódios juntos. Foi muito bem recebido pelos fãs, diferente de outros títulos da série lançados nos últimos anos, elevando Resident Evil a um patamar “renovado”.

7 Respostas

  1. Sim , ja joguei , muito bom…

  2. ja jogo Amnesia? é bem desse jeito, vc so tem um lampiao limitado (tem que sempre procurar oleo) pra andar por um castelo muito macabro, muito bom !

  3. Cada um pode considerar cada coisa como terror, mais um tipo de jogo que na minha opinião da mais medo e aflição , são os jogos survival horror , que não tem a opção de você sacar uma arma e se defender , é só correr , se esconder , e fugir. Dar um tiro de Doze na cabeça de uns zumbis ou assombrações é muito facil , quase que sem graça, agora você andar por um lugar fudido de macabro somente com a opção de correr e se esconder , isso sim da aflição.

  4. Cada um tem seu próprio conceito de terror, não há como generalizar terror.

  5. Achei que ia aparecer “Five Nights at Freddy’s 3” em algum lugar kkk.
    Muito bom mas, não acho que Resident Evil possa ser considerado “terror”

  6. 80% dessa lista passa longe de ser terror, nao passam de jogos que ou possuem zumbis ou uma atmosfera mais “dark”, na boa, revejam os conceitos do que voces consideram terror .-.

  7. Tem tb um jogo exclusivo do Xbox One chamado Nevermind. Sai esse ano e o controle do jogo é o Kinect, onde ele usa seus bastimentos cardíacos pra transmitir mais ou menos medo. Tipo, se os batimentos estiverem acelerados, mais coisas cabulosas acontecerão. Pode ser uma experiência inovadora..

As opiniões estão fechadas neste post.

Esqueci a Senha