Digimon (Franquia)

Filmes Games Japão Marcas / Franquias Séries
Seguir
9.8
Opiniões

Resumo – Digimon (Franquia)

Digimon (Franquia)

Digimon (デジモン, Dejimon, também chamado de Digital Monsters) foi uma franquia criada por "Akiyoshi Hongo", um pseudônimo que a Bandai montou para referenciar um grupo responsável pelo desenvolvimento da mesma. A franquia é sobre criaturas digitais, habitantes de um mundo digital (chamado de digimundo). Esse mundo é feito inteiramente de dados, paralelo ao mundo real e pode ser acessado por redes ou portais intangíveis e conexões de internet. Digimon baseia-se em temas sobre monstros, ficção científica, linguagem computacional e é inspirada pela espiritualidade tradicional japonesa. A primeira temporada da série em desenho japonesa concebe a ideia de que seres humanos terrestres acessam um mundo digital e tecnológico paralelo, ideia que existe desde a década de 1970.

Digimon é muitas vezes referido como uma imitação de Pokémon, no entanto, ambos se diferem em diversos conceitos. Com o lançamento inicial do virtual pet (uma espécie de "evolução" do Tamagotchi, de acordo com a Bandai, produtora de ambos), a série se expandiu até então, lançamento de mangás, do jogo Digimon World para Playstation e a transmissão do filme e anime da série Digimon Adventure, que foi sucesso mundial. A comercialização de diversos produtos como jogos eletrônicos, mangás, álbuns da trilha sonora, revistas, brinquedos, jogos de cartas e outros são feitos majoritariamente a pedido da Bandai Namco, responsável pela franquia, tendo os animes (produzidos pela Toei Animation) como uma base para promover todos os outros produtos. A franquia tornou-se em um fenômeno cultural e social durante os anos 2000 e consequentemente sua popularidade fez movimentar 25 bilhões de ienes no mercado em março de 2002.

Surgindo como um "filho" do conceito de Tamagotchi, bichinhos virtuais que obtiveram grande sucesso nos anos 90, os Digimons, lançados em 1997 como V-Pets, ainda "evoluiam" e tinham de ser tratados de suas necessidades, porém, eles também podiam treinar e batalhar entre si, além de ter a temática "digital" envolvida.

Diferente das outras franquias, Digimon não possui uma "área principal", mesmo com os V-Pets sendo a origem da mesma o foco de Digimon muda de acordo com a necessidade. Digimon também trabalha com Multi-verso e portanto, mesmo que duas histórias não se passem em um único universo, alguns personagens ainda podem se encontrar ao viajar de um universo para outro. Isso acontece entre os jogos, os animes e outras mídias.

Gênero:Ano de Lançamento:Desenvolvimento:

História

Criação e desenvolvimento

No ano de 1996 nasceu o Tamagotchi pela empresa japonesa Bandai, sendo um aparelho eletrônico que obteve fama internacional no final dos anos 90 e começo dos anos 2000 e, aqui no Brasil, ficou conhecido como “bichinho virtual”. Tal produto foi majoritariamente criado por Aki Maita, que foi inspiração também para o primeiro lançamento da franquia Digimon, que na verdade é um Tamagotchi com maior apelo para o público masculino, já que o original tinha maior popularidade entre garotas, apesar de garotos também consumirem. Este novo aparelho foi lançado em 1997 e era comumente chamado de Digital Monster Ver. 1, sendo um “virutal pet” onde se criavam os DigiMons (abreviação de “Monstros Digitais”, em português).

Criado por baixo do pseudônimo Akiyoshi Hongo, que seria uma junção do nome dos 3 criadores que representavam uma grande equipe por trás, esse novo aparelho apresentou aos jogadores os Digimons, bichinhos de estimação que evoluíam e se assimilavam a dinossauros e geralmente outras criaturas mais agressivas que os Tamagotchis, das quais eram compostas inteiramente por “dados digitais” e eram concebidos para reproduzir e batalhar entre si.

Uma segunda geração dos monstrinhos foi comercializada seis meses após o lançamento da primeira, seguida por uma terceira em 1998 e assim por diante. Cada jogador começa com uma criatura digital em nível bebê que possui um número limitado de ataques e transformações e, para deixá-la mais forte, deve-se treiná-la e alimentá-la; quando ela é bem-sucedida em um treino, ela torna-se forte, quando falha, enfraquece. Dois desses virtual pets (ou v-pets) podem ser conectados, permitindo que jogadores batalhem com suas respectivas criaturas, sendo uma inovação na época, entretanto, a batalha só é possível após atingir um determinado nível com sua criatura. Parques infantis e metrôs eram onde se concentravam a maioria dos usuários (lembrando um pouco do que foi Pokémon GO depois); tais aparelhos de virtual pets foram proibidos em algumas escolas asiáticas por serem considerados por pais e professores como muito barulhentos e violentos. Os primeiros Digimons foram criados pelo designer japonês Kenji Watanabe, influenciado pelos quadrinhos americanos que começaram a ganhar popularidade no Japão na época, que serviram de inspiração para deixar os personagens com aparência mais forte e “maneira”. Até o ano 2000, já existam ao todo 279 Digimons, que foram criados de acordo com extensas discussões e colaborações entre a Bandai e seus funcionários.

Akiyoshi Hongo

Akiyoshi Hongo é um pseudônimo criado pela Bandai para mencionar o grupo de pessoas responsáveis pela criação e desenvolvimento da franquia Digimon, das quais se destacam Aki Maita, Hiroshi Izawa e Takeichi Hongo (basicamente o pseudônimo foi criado pela junção dos nomes “Aki” + “Katsuyoshi” + “Hongo“). A Bandai têm exposto este pseudônimo como criador responsável pela série em diversas mídias por questões práticas e de direitos autorais, dado o fato de muitas pessoas estarem envolvidas no projeto, sendo algumas:

  • Aki Maita é funcionária da Bandai desde 1990 e conhecida pela criação dos famosos tamagotchis (“bichinhos virtuais”) em 1995. Desde pequena Aki amava animais de estimação, além de ter um interesse em assuntos relacionados a Inteligência Artificial (na década de 90 assuntos relacionados a novas tecnologias – Era Digital – estavam em alta, e a criação de robôs, ou outros tipos de aparatos, com inteligência artificial era uma das grandes ambições dos cientistas da área). Ela assim criou os “monstros de estimação”, conhecidos como Tamagochi. Posteriormente, tudo relacionado à franquia Digimon teve-se primeiramente sua aprovação, desde jogos, mangá, filmes, séries de anime, etc;
  • Takeichi Hongo é o diretor de marketing da Bandai e responsável pelo projeto coletivo que evoluiu o conceito dos Tamagotchi, criando assim os chamados v-pets chamados de Digital Monsters (ou DigiMon, abreviado). Este projeto novo da Bandai pretendeu criar um “tamagochi para rapazes”, mais interativo e lucrativo. Os Digimons se expandiram posteriormente para outras mídias, além do aparelho original.
  • Tenya Yabuno é o artista (mangaká) dos primeiros mangás de Digimon, trabalhando em parceria com Hiroshi Izawa. Foi Yabuno quem introduziu conceitos base do anime de Digimon pela primeira vez em 1997, com um one-shot que era inspirado e retratava a temática dos aparelhos v-pets, chamado de C’mon Digimon. Tenya é o responsável por introduzir o estilo de traço dos mangás e animes de Digimon – linhas simples e visualmente atrativas – que são assim até a chegada da série Digimon Savers, onde foi concebido um novo estilo. Foi Yabuno quem desenvolveu o design de Yagami Taichi;
  • Hiroshi Izawa é o roteirista que deu vida ao primeiro mangá oficial de Digimon em 1998, com a parceria de Tenya Yabuno (mangaká). Batizado com o nome Digimon Adventure V-Tamer 01, o visual do mangá recebeu algumas inspirações do não-oficial C’mon Digimon, da autoria de Yabuno. Hiroshi é o criador do personagem Yagami Taichi, protagonista desta história, e que foi em 1999 reutilizado pela Toei Animation no anime Digimon Adventure;
  • Katsuyoshi Nakatsuru é diretor de animação e designer na Toei. Foi responsável por dar o design a maioria dos personagens em Digimon Adventure, Digimon Adventure 02, Digimon Tamers e Digimon Frontier. O trabalho de Katsuyoshi na Toei é conhecido pela participação em projetos como Dragon Ball GT, durante o qual estabeleceu forte contato com Akira Toriyama, que supervisionou a confecção do anime. Katsuyoshi deu o design aos personagens Goku no nível Super Saiyajin 4 e Bardock (pai de Goku, bastante similar propositalmente).

Alguns lançamentos relevantes

Após o sucesso certeiro dos virtual pets de Digimon, o mangá one-shot C’mon Digimon, desenhado por Tenya Yabuno, foi publicado na revista japonesa V-Jump da editora Shueisha em 1997. Em fevereiro de 1998 um jogo da franquia baseado nos aparelhos iniciais foi divulgado para PCs, compatível com Windows 95 e desenvolvido pela Rapture Technologies. Seguindo a mesma temática, a Bandai lançou o jogo Digital Monster Ver. S: Digimon Tamers, para Sega Saturn em 23 de setembro de 1998, sendo este o primeiro jogo eletrônico comercializado para um console. Nele, tinham 70 Digimons, sendo todos já apresentados em 4 versões diferentes dos virtual pets mais 14 inéditos para o jogo. Então, em janeiro de 1999 foi lançado a primeira grande produção para videogames da franquia, sendo este Digimon World para Playstation, que vendeu mais de 1,3 milhões de cópias só em seus lançamentos para a América do Norte, Europa e Japão. O projeto do jogo foi trabalhado com a intenção de ser uma resposta da Bandai ao sucesso que estava sendo Pokémon: Red & Blue para Game Boy da Nintendo.

Foi lançado no mesmo ano um curta-metragem intitulado Digimon Adventure dia 6 de março e contava a história do contato entre seres humanos e criaturas digitais. No dia seguinte, domingo, 7 de março de 1999, foi lançado o anime homônimo ao filme citado anteriormente, Digimon Adventure, que foi produzido em colaboração da Toei Animation, transmitido pela Fuji TV e adaptado internacionalmente no mesmo ano como “Digimon”, apenas. Com uma grande audiência, foi seguida por uma segunda temporada em 2000 e dois filmes, Bokura no War Game! e Chōzetsu Shinka!! Ōgon no Digimental, nos cinemas. Outros produtos da franquia foram popularizados também, sendo exportado a diversos países. Em contraste a popularização, várias análises e críticas destacavam as semelhanças com Pokémon.

Devido ao sucesso do primeiro Digimon World, a franquia se seguiu com mais 3 jogos principais para Playstation, sendo um deles de luta. Estes lançamentos, porém, tiveram um “modelo” longe do original apresentado em Digimon World e se diferiam bastante entre si. Com o crescente sucesso do anime, uma terceira temporada denominada Digimon Tamers foi anunciada em 2001 e, no enredo, os personagens têm a visão de Digimon como uma franquia comercial. Em 2004, depois de lançadas quatro temporadas a Bandai anunciou um projeto de um filme com animação 3D, que foi lançado em 3 de janeiro de 2005 entitulado de Digital Monsters X-Evolution. Quase três anos e meio depois, uma quinta temporada foi anunciada, com um design diferente, que teve como objetivo atrair um público mais vasto, nomeada de Digimon Savers.

Em 2011, Bandai fez um plano sobre jogos eletrônicos em quatro etapas com fim de comemorar o décimo quinto aniversário da franquia: a primeira etapa foi a apresentação de um jogo eletrônico para PSP intitulado Digimon World Re:Digitize, comercializado em 2012; a segunda etapa foi um jogo eletrônico com formato de jogo de cartas, para a plataforma iPhone, nomeado Digimon Crusaders; a terceira etapa foi o lançamento de um segundo jogo para PSP chamado Digimon Adventure, comercializado a partir de 13 de janeiro de 2013, cuja história remonta o enredo da primeira temporada homônima e a equipe de dublagem foi a mesma que atuou na remontada temporada; a quarta e última etapa foi a sequência do jogo Re:Digitize, Digimon World Re:Digitize Decode, anunciada em 21 de fevereiro de 2013 na revista V-Jump e comercializada em 27 de junho de 2013 para a plataforma Nintendo 3DS. Houve uma petição pela internet para que o jogo fosse exportado e adaptado para o Ocidente, sem sucesso com seu objetivo.

Em meados de 2015 e 2016 foi confirmado o retorno da série de anime clássica responsável pelo sucesso internacional de Digimon, intitulado de Digimon Adventure Tri, além do lançamento dos jogos Digimon Story: Cyber Sleuth e Digimon World: Next Order, este último no caso, retornou às mecânicas clássicas do primeiro Digimon World lançado para Playstation em 1999. Também foi lançado em 2016 o anime Digimon Universe: Appli Monsters que abordou temáticas bastante diferenciadas para a franquia, até então.

Difusão internacional

O modelo de virtual pet distribuído no mercado japonês pela Bandai, que permitiu a popularização de Digimon no Japão, vendeu mais de 13 milhões de unidades pelo mundo até março de 2004, onde se deu encerrado o primeiro pico de popularidade da franquia.

Nos Estados Unidos, a Toys “R” Us vendeu muitos produtos de Digimon e os estoques acabavam muito rápido nos anos 2000. O lançamento da primeira temporada de Digimon para o ocidente aconteceu entre o final de 1999 e o início de 2000 e essa temporada acabou popularizando o virtual pet e outros produtos que passaram a ser considerados produtos relacionados ao anime nessa região. A editora Dark Horse Comics obteve os direitos de licença para uma publicação mensal em treze exemplares de histórias em quadrinhos, entre maio e setembro de 2000, no continente norte-americano; hqs da franquia Digimon também foram distribuídas na Europa pelas editoras Panini Comics e Dino Entertainment. No final de 2000, Digimon: O Filme foi lançado em outubro para os cinemas e distribuído em formato VHS pela 20th Century Fox. Mais de sete mil empresas especializadas no ramo de brinquedos e de alimentos, como Toys “R” Us, Wal-Mart e Taco Bell, aproveitando a popularidade da série, compraram licenças para atribuir a franquia aos seus produtos. Dentre os produtos de Digimon ainda existem vestimentas, bonecos, baralho, cartas de jogo (tcg), aplicativos móveis, vestimentas, singles, bichos de pelúcia e mais.

Nos Estados Unidos, a primeira temporada foi lançada na Fox em 14 de outubro de 1999. Adaptada e editada pela Saban, a série, em todas as suas temporadas, foi transmitida em vários canais de televisão, incluindo Fox Kids, UPN, ABC Family, Jetix, Toon Disney/Disney XD, Cartoon Network, Nicktoons e The CW. No Brasil, os animes da franquia tiveram transmissões pela RedeTV!, Rede Globo, Disney XD, Fox Kids e pelo Cartoon Network.

Animes

Em 1999, um curta-metragem baseado nos mascotes virtuais chamado Digimon Adventure foi lançado. No entanto, pouco depois que o storyboard do filme foi concluído em 1998, os produtores em Toei Animation haviam solicitado para transformá-lo em um programa de televisão também, assim nascendo a série animada no Japão no dia 7 de março de 1999 na emissora Fuji TV, também nomeada Digimon Adventure. A popularização da franquia e uma alta audiência levaram a produção de uma segunda temporada e de filmes relacionado às duas temporadas. As temporadas seguintes, no caso, não foram sequências em relação ao enredo dessas duas primeiras, até a chegada de Digimon Adventure Tri em 2016.

Os episódios, produzidos pela Toei Animation, são classificados em gêneros de animação, ação, aventura, comédia, drama, fantasia e ficção científica. Tais episódios são majoritariamente produzidos para a promoção de produtos, como cards, jogos, brinquedos e outros. Em alguns deles contêm um pouco de violência e de elementos visuais explícitos, tal como a nudez. Devido a alguns problemas com violência e nudez, a versão ocidental da série animada e de filmes de Digimon possui diferenças com a original japonesa, por exemplo.

Em 2012, a empresa estadunidense Saban adquiriu os direitos de distribuição de Digimon no mundo inteiro, exceto no Japão. No mercado estadunidense, as cinco primeiras temporadas foram comercializadas completas a partir de 2013, editadas pelas empresas New Video Group, Funimation, 20th Century Fox e Buena Vista Home Entertainment; a primeira fita de vídeo comercializada foi Digimon: Digital Monsters — The Birth of Greymon, o que aconteceu em 2 de novembro de 1999. Episódios e filmes são regularmente publicados e distribuídos: Funimation e Crunchyroll ofereceram temporariamente versões originais legendados dos episódios da segunda e terceira temporadas; nos websites Amazon e Direct2Drive, foram vendidos brevemente episódios originais legendados da segunda temporada; em 2011, o serviço Hulu disponibilizou integralmente os episódios da terceira temporada; em agosto de 2013, a Netflix adicionou as duas primeiras temporadas em linguagem japonesa e legenda em inglês ao seu catálogo americano e o primeiro DVD de Digimon Adventure tri., Saikai, foi disponibilizado ao Ocidente no catálogo do serviço Crunchyroll logo após seu lançamento.

Digimon Adventure

Digimon Adventure, a primeira temporada, foi inicialmente transmitida no Japão pela Fuji TV de 7 de março de 1999 até 26 de março de 2000, depois de lançado o curta-metragem homônimo. A temporada, composta por um total de 54 episódios, foi produzida por Hiromi Seki, dirigida por Mamoru Hosoda e inspirada nos jogos, mangás e outros produtos anteriormente lançados; inclui temas como exploração, amizade, coragem, dificuldade de tomar decisões, maturidade, trabalho em equipe e perdão. Durante sua transmissão, a série se tornou em um grande sucesso e esteve no centro das atenções na Toei Anime Fair. O anime foi bem recebido pelos espectadores em geral e pela mídia especializada, apesar das semelhanças apontadas com Pokémon.

Digimon Adventure narra as aventuras de um grupo de crianças e seus parceiros digimons — Taichi “Tai” Kamiya e Agumon, Yamato “Matt” Ishida e Gabumon, Sora Takenouchi e Biyomon, Koushiro “Izzy” Izumi e Tentomon, Mimi Tachikawa e Palmon, Joe Kido e Gomamon, Takeru “T.K.” Takaishi e Patamon, Hikari “Kari” Kamiya e Tailmon — no qual começa quando as crianças são levadas do acampamento de verão no mundo real para um mundo habitado por criaturas digitais, inicialmente pela Ilha Arquivo, através de um portal. Os protagonistas unem-se para combater forças malignas do digimundo, indo de Devimon, a um grupo de antagonistas, conhecido como mestres das trevas que tentavam tomar posse deste mundo.

Digimon Adventure 02

Após do sucesso da primeira temporada, uma continuação direta intitulada Digimon Adventure 02 foi anunciada em 2000 pela Bandai. Essa temporada foi dirigida por Hiromi Seki ao lado de Daisuke Kawakami e Kyotaro Kimura, é composta de um total de 50 episódios, sendo inicialmente transmitida pela Fuji TV entre 2 de abril de 2000 e 22 de março de 2001. A temporada foi seguida por um filme intitulado Diablomon no Gyakushuu.

A história passa-se três anos após os eventos da primeira temporada: uma nova geração de digiescolhidos — composta por Daisuke “Davis” Motomiya e Veemon, Miyako “Yolei” Inoue e Hawkmon, Iori “Cody” Hida e Armadillomon, Takeru “T.K.” Takaishi e Patamon, Hikari “Kari” Kamiya e Tailmon — é destinada a salvar o digimundo combatendo o autoproclamado Imperador Digimon (mais tarde revelado Ken Ichijouji, que se junta a nova turma de digiescolhidos junto com seu parceiro Wormmon) e, depois, para combater MaloMyotismon. Situado no mesmo universo da primeira temporada, Digimon Adventure 02 usa elementos da temporada antecessora.

Digimon Tamers

Digimon Tamers, a terceira temporada, foi originalmente transmitida no Japão entre 1 de abril de 2001 e 31 de março de 2002 pela Fuji TV e teve um total de 51 episódios. Ela foi dirigida por Yukio Kaizawa, sucedendo Mamoru Hosoda e Hiroyuki Kakudō, diretores da primeira e segunda temporada respectivamente. Foi marcada por uma grande diferença de conceitos estilísticos e de roteiro em comparação com as duas temporadas anteriores. Com essa mudança, foram obtidos novos telespectadores, apesar de parte do público ter preferência da forma feita nas primeiras temporadas. No geral, a temporada foi bem recebida pela imprensa, que ressaltou especificamente a animação e as características marcantes das personagens.

No enredo, Digimon é para os personagens uma franquia comercial, com produtos como jogo de cartas e digivice — nomeado como D-arc. A temporada introduz novos protagonistas e seus digimons, cujos principais são Takato Matsuda e Guilmon, Ruki Nonaka e Renamon, Henry Wong e Terriermon. Após os protagonistas enfrentarem uma entidade governamental, alcançam o digimundo, onde se reúnem com os digimons supremos e aprendem sobre a existência de um vírus devastador chamado D-Reaper.

Digimon Frontier

A quarta temporada foi primeiramente transmitida no sábado, 7 de abril de 2002, às nove horas da manhã pela Fuji TV até 30/03/2003 com um total de 50 episódios. Takeo Haruna, ao lado de seus colegas Kyotaro Kimura, Tooru Usuki, Hiromi Seki e Atsunari Baba, ficaram responsáveis pelo projeto. Yukio Kaizawa, diretor da temporada anterior, também contribuiu para a produção dessa temporada.

O enredo consta com seis novas personagens de idades diferentes — Takuya Kanbara, Koji Minamoto, J.P. Shibayama, Zoe Orimoto, Tommy Himi e, mais tarde, Koichi Kimura — e são acompanhadas por dois guias Bokomon e Neemon. As novas personagens são capazes de se transformarem em Digimons usando aparelhos chamados D-tectors, tornando-se capazes de combater outros Digimons.

Digimon Savers

Quase três anos e meio depois do lançamento da quarta temporada, a Bandai anuncia uma quinta, nomeada de Digimon Savers no Japão e Digimon Data Squad no Ocidente, esta temporada teve um total de 48 episódios, transmitida originalmente no Japão entre 2 de abril de 2006 a 25 de março de 2007 pela Fuji TV e, em seguida, na TV Asahi. Nessa temporada houve uma mudança radical no roteiro e gráficos, para tentar satisfazer um novo público. Ela foi bem recebida entre o público da série e a mídia especializada, apesar de apontarem falhas no roteiro.

O enredo se concentra no protagonista adolescente Marcus Damon e seu parceiro Agumon, ambos empregados no D.A.T.S. (Digital Accident Tactical Squad), uma organização cuja função é combater qualquer ameaça do digimundo na Terra, e são acompanhados por outros membros da organização, Yoshino Fujieda e Thomas Norstein, acompanhados de seus parceiros Digimons, respectivamente, Lalamon e Gaomon. Mais tarde, um quarto integrante e o mais novo, Keenan Crier, junto a seu parceiro Falcomon juntam-se ao grupo.

Digimon Xros Wars, Digimon Xros Wars: Hunters (1º e 2º arco)

A revista V-Jump anunciou uma sexta temporada intitulada inicialmente de Digimon Cross Wars e que sua transmissão seria a partir de julho de 2010 na TV Asahi. Renomeada Digimon Xros Wars, foi transmitida em dois arcos de 6 de julho de 2010 a 25 de março de 2012, em paralelo, houve a venda de produtos em grande escala. O enredo segue as aventuras de Taiki Kudo, um jovem esportista e despreocupado, junto a seus dois companheiros e um grupo de Digimons que possuem a capacidade de se fundirem com um digivice denominado Xros Loader, tentando restaurar a ordem de um fragmentado digimundo. A série estreou no Ocidente sob o nome de Digimon Fusion.

Digimon Xros Wars: Toki o Kakeru Shōnen Hunter-tachi, como é chamado o segundo arco no Japão, é marcado pela aparição de protagonistas de temporadas anteriores, tais como Marcus Damon e Tai Kamiya. Em 2013, ele foi nomeado no Prêmio Emmy Kids Internacional, na categoria “Melhor Animação”.

Digimon Adventure tri.

Uma nova temporada foi anunciada em 1 de agosto de 2014 em um projeto que comemorava os 15 anos de existência da primeira temporada Digimon Adventure. O enredo é continuação da primeira e segunda temporada, mas com os protagonistas da primeira. Em 13 de dezembro de 2014, a Toei Animation anunciou o título oficial, Digimon Adventure tri., bem como a equipe de desenvolvimento da temporada; ela é dirigida por Keitaro Motonaga, o enredo dela foi escrito por Yuuko Kakihara e o design dos personagens foi desenvolvido por Atsuya Uki. Foi anunciado em 6 de maio de 2015 que essa temporada não seria uma série de televisão animada, mas uma série de seis OVAs. O primeiro OVA foi Saikai (再会? lit. “Reunião”), lançado em 21 de novembro de 2015. O segundo filme foi Ketsui (決意? lit. “Determinação”), lançado em 12 de março de 2016. O terceiro filme foi Kokuhaku (告白? lit. “Confissão”), lançado em 24 de setembro de 2016. O quarto filme foi Sōshitsu (損失? lit. “Perda”), lançado em 25 de fevereiro de 2017. O quinto filme, Kyōsei (共生? lit. “Simbiose”), para 30 de setembro de 2017.

Digimon Universe: Appli Monsters

Em 2016 foi anunciado uma sétima temporada da franquia intitulada Digimon Universe: Appli Monsters e que a sua transmissão seria a partir do outono do mesmo ano. Em paralelo foram vendidos brinquedos, jogos eletrônicos e outros produtos pela Bandai Namco e Toei Animation. Iniciando um novo capitulo entre temporadas, o enredo segue as aventuras de Haru Shinkai, um jovem estudante de 13 anos. É educado e gosta de formar opiniões sobre tudo com seu coração justo. Adora ler e relaciona-se com heróis das suas histórias. O seu parceiro Appmon é o Gatchmon que pode ser invocado por um digivice denominado “Appli Drive” que permite as combinações de Appmons. Gou Koga é o diretor do anime, Yoichi Kato é o supervisor da série e Kenichi Ohnuki é o designer de personagens. O anime desenvolve novas ideias dentro da franquia Digimon, se distanciando de alguns conceitos originais.

Filmes

O primeiro filme da franquia intitula-se Digimon Adventure e foi lançado nos cinemas em 6 de março de 1999, um dia antes do lançamento da primeira temporada homônima na televisão. Dois outros filmes, Bokura no War Game! e Chōzetsu Shinka!! Ōgon no Digimental, foram lançados, respectivamente, em março e julho de 2000. Mais tarde, uma colaboração entre a Fox Kids e 20th Century Fox foi feita para a produção e lançamento em 6 de outubro de 2000 de um filme que reúne os primeiros três filmes citados, mas, editados demasiadamente, o qual foi nomeado Digimon: O Filme e lançado em 1.700 salas de cinema americanos.

Em 2005, um projeto foi anunciado pela Bandai de produzir um filme usando animação 3D; possuindo oitenta minutos de duração, esse filme foi nomeado Digital Monsters X-Evolution, produzido pelo estúdio Imagi Animation e transmitido pela Fuji TV em 3 de janeiro de 2005. Dois outros filmes produzidos com 3D estereoscópio, Digimon Adventure 3D Digimon Grand Prix! e Digimon Savers 3D Digital World Kiki Ippatus!, foram lançados em 3 de outubro de 2009 durante o Tobidasu 3D! Toei Animation Festival. De junho a setembro de 2012, cada um desses filmes foi editado e republicado para as lojas.

Todas as temporadas em anime tiveram ao menos um filme até Digimon Savers, ao menos. Fora a trilogia adaptada para os EUA, há ainda Digimon Adventure 02: Diablomon Strikes Back, Digimon Tamers: The Adventurers’ Battle, Digimon Tamers: The Runaway Digimon Express, Digimon Frontier: Revival of the Ancient Digimon!! e Digimon Savers The Movie: Ultimate Power! Activate Burst Mode!!. Apesar disso, somente os filmes de Digimon Adventure/02 são canônicos com sua história.

Jogos eletrônicos (Games)

Há vários jogos eletrônicos de Digimon contando com diversos gêneros, incluindo ação, aventura, luta, corrida, cardgames, jogos interativos para PCs, plataforma, RPG, simulação, simulador de vida, MMO e estratégia. O primeiro lançamento da franquia foi um virtual pet, um pequeno gadget e jogo eletrônico originalmente concebido e distribuído no mercado japonês pela Bandai. Após o sucesso do aparelho, muitos jogos foram lançados para consoles da “quinta geração”, sendo o primeiro o jogo Digital Monster Ver. S: Digimon Tamers para o console Sega Saturn, produzido pela empresa TOSE, tendo majoritariamente elementos do próprio V-pet. Ele foi seguido por Digimon World para PlayStation desenvolvido pela Bandai e cujas vendas atingiram mais de 1,3 milhões de cópias, dando sequência ao Digimon World 2 e 3 para o mesmo console. O jogo Digimon Rumble Arena, bastante diferente dos anteriores, era um jogo de luta que lembra o clássico Super Smash Bros. da Nintendo. Os jogos Digimon World: Digital Card Battle e Digital Card Arena também para Playstation foram criados devido ao sucesso de vendas das cartas colecionáveis de Digimon, na época.

Em 2002, um MMORPG gratuito, Digimon RPG, inspirado na terceira temporada Digimon Tamers, foi lançado aos usuários sul-coreanos e, depois, aos usuários japoneses; neste mesmo ano, o Digimon World original foi relançado para PCs, apenas na Coreia. Digimon World 4 (Digimon World X no Japão), foi lançada em 6 de janeiro de 2005 para as plataformas PlayStation 2, Xbox e GameCube. Então, uma leva de jogos para o portátil DS foi lançada entre 2006 e 2011, e são: Digimon World DS, Digimon World Dawn and Dusk, Digimon World Championship, Digimon Story: Lost Evolution e Digimon Story: Super Xros Wars Red e Blue.

Para comemorar os quinze anos da franquia, a Bandai lançou Digimon World Re:Digitize para PlayStation Portable, desenvolvido pela tri-Crescendo; Digimon World Re:Digitize Decode, adaptação do jogo anterior, para Nintendo 3DS; Digimon Adventure para PSP, o qual percorre o enredo da temporada homônima; e Digimon Story: Cyber Sleuth, “voltado para um público mais adulto”, no PS Vita, e depois adaptado para PS4. Em 2014, Digimon All-Star Rumble foi anunciado para PlayStation 3 e Xbox 360 no ocidente.

Alguns dos jogos de Digimon possuem suas próprias “séries” para divisão, embora exista uma confusão por causa da mudança de nomenclatura no ocidente com vários jogos da série Story sendo renomeados para “World”, mesmo sendo de uma linha distinta. O mesmo ocorre com “Rumble Arena”, tal série não existe visto que são jogos distintos e com nomes diferentes em sua versão original japonesa, mesmo possuindo uma jogabilidade similar.

Curiosamente, Digimon World que adaptou o conceito dos V-Pets para algo mais detalhado ao console Playstation, foi lançado meses antes do anime. Lá, foi apresentada a File Island (ou Ilha Arquivo), com ideias para a franquia, de progressão da história para o anime e cenários que posteriormente foram adicionadas no próprio programa televisivo. Sendo precursor ao anime, apesar de estar em produção basicamente ao mesmo tempo que ele, os Digimons ainda não tinham uma “linha de evolução” tênue, Metal Greymon, por exemplo, era representado de forma roxa, invés da versão final do anime, dentre outros. Pode-se dizer que Digimon World foi o “pai” de diversas ideias que surgiram posteriormente no anime.

Série “World”

Série “Story”

  • Digimon Story, Digimon World DS no ocidente (Nintendo DS);
  • Digimon Story: Sunburst, Digimon World Dawn no ocidente (Nintendo DS);
  • Digimon Story: Moonlight, Digimon World Dusk no ocidente (Nintendo DS);
  • Digimon Story: Lost Evolution (Nintendo DS);
  • Digimon Story: Super Xros Wars Blue (Nintendo DS);
  • Digimon Story: Super Xros Wars Red (Nintendo DS);
  • Digimon Story: Cyber Sleuth (PS Vita e Playstation 4);
  • Digimon Story: Cyber Sleuth Hacker’s Memory (PS Vita e PS4).

Jogos de Luta

  • Digimon Tamers: Battle Spirit (GameBoy Advance e WonderSwan);
  • Digimon Tamers: Battle Evolution, Digimon Rumble Arena no ocidente (PS1);
  • Digimon Tamers: Battle Spirit Ver. 1.5 (WonderSwan);
  • Digimon Frontier: Battle Spirit (GBA e WonderSwan);
  • Digimon Battle Chronicle, Digimon Rumble Arena 2 no ocidente (PS2);
  • Digimon All-Star Rumble (PlayStation 3 e Xbox 360).

Ligados/Baseados nos Animes

  • Digimon Adventure: Anode Tamer (WonderSwan);
  • Digimon Adventure: Cathode Tamer (WonderSwan);
  • Digimon Adventure: Anode/Cathode Tamer Veedramon Version (WonderSwan);
  • Digimon Adventure 02: Tag Tamers (WonderSwan);
  • Digimon Adventure 02: D1 Tamers (WonderSwan);
  • Digimon Adventure 02 and Gate Pack (WonderSwan);
  • Digimon Tamers: Brave Tamer (WonderSwan);
  • Digimon Savers: Another Mission (Playstation 2);
  • Digimon Adventure (PSP).

MMORPGs

  • Digimon RPG – PC
  • Digimon Masters – PC

Outros

  • Digital Monster Ver. S – Sega Saturn
  • Pocket Digimon World – PlayStation
  • Pocket Digimon World: Wind Battle Disc – PlayStation
  • Digimon Adventure 02: Digital Partner – WonderSwan
  • Pocket Digimon World: Cool & Nature Battle Disc – PlayStation
  • Digimon Tamers: Pocket Culumon – PlayStation
  • Digimon Tamers: Digimon Medley – WonderSwan
  • Digimon Park – PlayStation (Kids Station)
  • Digimon Battle Server – PC
  • Digimon Circle – PC
  • Digital Monster Card Game Ver. WSC – WonderSwan
  • Digital Monster: D-Project – WonderSwan
  • Digimon Racing – Game Boy Advance
  • Digimon Championship – Nintendo DS
  • Digimon Life – Smarth Phone
  • Digimon Collectors – Smarth Phone
  • Digimon Crusader – Smarth Phone
  • Digimon Fortune – PC
  • Digivice Ver. Portable – PlayStation Portable
  • Digimon Pocket Wars

Brinquedos

Ao mesmo tempo que a franquia se tornava famosa no fim dos anos 1990, muitos brinquedos foram vendidos no mercado japonês, principalmente para o público infantil e adolescente. A venda de brinquedos se expandiu internacionalmente, a começar por Austrália e Nova Zelândia. Entre os brinquedos são incluídos bonecos, bichos de pelúcia e gadgets como digivice, derivado da série de televisão. Ao longo do tempo, o digivice passou de um simples jogo de combate em 2D para um leitor de MP3 com ecrã colorido de LCD tocável e com reconhecimento de voz. Os jogos de cartas colecionáveis de Digimon também obtiveram um sucesso considerável, ressaltando que a Bandai promovia tal tipo de jogo também em lançamentos para Playstation, por exemplo. Só em 2001, a venda dos brinquedos arrecadou mais de cem milhões de dólares no mercado estadunidense.

Músicas e CDs

Kouji Wada e Ai Maeda são os principais cantores das músicas da franquia. Kōji ficou afastado entre 2011 e 2013 por causa de problemas relacionado ao câncer, vindo a falecer em 2016. Porém o mesmo deixou um último trabalho cantando a abertura da série Digimon Adventure Tri. Coincidentemente, foi uma nova versão da primeira canção lançada chamada de Butter-Fly, aparecendo pela primeira vez como música tema da abertura da primeira temporada do anime, feita pelo mesmo.

Os dramas de CDs, tal como Digimon Adventure – Character Song – Mini Drama, que tem três volumes, focam-se nas protagonistas da série animada e são considerados do gênero de radioteatro. Em 24 de março de 2000, foi lançado no Japão um álbum em edição limitada denominado Digimon Adventure: Best Hit Parade e foi distribuído pela gravadora King Records. A trilha sonora do filme Digimon: O Filme foi comercializada em 19 de setembro de 2000 e foi bem recebida pela Allmusic, pela presença de artistas como Fatboy Slim, Smashmouth e Less Than Jake ou de hits como a famosa “Kids in America”. O jogo Digimon World também obteve um CD com sua trilha sonora remasterizada.

Geralmente, a franquia se destaca com aberturas de anime que transmitem rock moderno japonês bem elaborado e trilhas sonoras cantadas para batalhas e digievoluções entre os Digimons, com cenas consideradas épicas ao menos em suas primeiras temporadas.

Mangás / Manhuas

Com a popularidade dos virtual pets, a franquia começou a crescer e se focar em outras mídias de entretenimento, começando pelo mangá Digimon Adventure V-Tamer 01 em uma história que falava sobre Yagami Taichi um “tamer” que usa seu V-pet para batalhar com o Digimon V-Dramon, apelidado de Zeromaru. Os dois acabam parando em um mundo digital onde precisam travar diversas batalhas. Outro mangá lançado inicialmente foi o chamado C’mon Digimon, onde não se existia de fato a ideia de “Mundo Digital” e o foco era somente usar criaturinhas digitais para batalhas virtuais, mas sem o uso das imagens “oficiais” dos Digimons como conhecemos hoje.

Segue a lista dos mangás e manhuas (“mangás” coreanos) de Digimon lançados até 2017, pelo menos:

  • C’mon Digimon;
  • Digimon Adventure V-Tamer 01;
  • Digimon Chronicle;
  • Digimon D-Cyber;
  • Digimon Next;
  • Battle Terminal 02 Web Comic;
  • Digimon Tokyopop;
  • Digimon Xros Wars;
  • Digimon Re:Digitize;
  • Digimon Re:Digitize Encode.

Recepção do público / audiência

A franquia Digimon se tornou em um fenômeno social e cultural com um público predominantemente jovem e tornou-se popular, em grande parte, devido à difusão da primeira temporada em mais de sessenta países. Digimon ocupa o 35º lugar em uma pesquisa feita pela Lycos em 2000 sobre pesquisas na internet. O vice-presidente sênior do estúdio britânico ITV Studios Global Entertainment Trudi Hayward afirmou que Digimon é um grande hitinternacional na televisão e permaneceu por mais de uma década. A Examiner chama Digimon de um gigante do marketing e especializada em linhas de brinquedos, filmes e em séries de televisão. Durante a compra da sexta temporada Digimon Xros Wars para Cartoon Network, Kirk Bloomgarden, encarregado pelo marketing da empresa estadunidense Saban, diz que Digimon é uma série famosa que se encaixa na programação da Cartoon Network. Sobre a série, Neil Lumbard, redator da DVD Talk, diz que é um dos melhores animes para crianças e é uma das raras séries que ganha o coração das crianças e manipulada para ser significativa e bem-feita para manter um público fiel desde o lançamento original. No entanto, o Common Sense Media avaliou a série com duas de cinco estrelas, destacando a violência e incitação de consumo.

Paralelamente, a franquia é recebida negativamente, resultado da controvérsia com a franquia Pokémon, onde Digimon é muitas vezes visto como semelhante e como uma tentativa de copiar a popularidade de Pokémon por razões diversas, tal como o lançamento tardio, tendo seu anime publicado 2 anos após o de Pokémon e havendo comparações como a de que em ambas franquias há crianças protagonistas combatendo com parceiros monstros. Em comparação, a versão japonesa dos cartuchos de Pokémon Red e Blue foi lançada em 27 de fevereiro de 1996 enquanto o virtual pet foi em 26 de junho de 1997; no entanto, o projeto do gadget exigiu dois anos para ficar pronto para o mercado. Lucas M. Thomas, da IGN, explicou que a constante competição e comparação entre essas duas séries é devido a complexidade do mecanismo da evolução em comparação com a digievolução. O website Gamespot também fez algumas comparações. Apesar dos pontos negativos, Digimon conseguiu superar várias vezes Pokémon em termos de audiência televisiva e de venda de brinquedos depois da década de 2000, em momentos de pico.

Em 2013, o arco da sexta temporada denominado Digimon Xros Wars: Toki o Kakeru Shōnen Hunter-tachi foi nomeado para a categoria melhor animação na International Emmy Kids Awards, mas perdeu para a série animada britânica O Incrível Mundo de Gumball. No dia 03 de maio de 2017, em comemoração ao centenário da industria da animação japonesa, a emissora NHK publicou uma lista por meio da participação dos telespectadores para elegerem os 100 melhores animes de todos os tempos. A pesquisa ficou aberta a votos entre os meses de janeiro e março de 2017 e contou com mais de 600 mil votos. A lista foi baseada nos votos do público, que escolheram os melhores animes que foram transmitidos até setembro de 2016. A primeira temporada de Digimon, Digimon Adventure, ocupou a 18º colocação na lista.

Esqueci a Senha