Sonic The Hedgehog (Franquia)

SonictheHedgehog.com.br
Games Marcas / Franquias Séries
Seguir Siga no Facebook
8.3

Opiniões

SAGE ’16 (parte 2) – Download dos jogos Sonic Utopia, ‘Souls’, ‘World’ e Green Hill Paradise 2

SAGE ’16 (parte 2) – Download dos jogos Sonic Utopia, ‘Souls’, ‘World’ e Green Hill Paradise 2

Continuando, neste artigo, os destaques da SAGE 2016 (evento internacional de fã games de Sonic) com mais alguns jogos em 3D do ouriço. Confira a primeira parte e a terceira também, clicando nos links.

GREEN HILL PARADISE 2

Video Thumbnail

Baixar demonstração (397.6mb).

Um jogo que tinha tudo para conseguir os holofotes, até que o Sonic Utopia apareceu. Infelizmente comparações foram inevitáveis. Não de minha parte.

A Green Hill Paradise Act 2 é uma fase muito bem feita, construída na engine UDK + Sonic GDK por SuperSonic68, que claramente precisou de programação adicional na Sonic GDK para diversos recursos. Apesar de o controle ainda não ter ficado ‘perfeito’, ele está muito bom e, depois de pegar o jeito, o jogo realmente é extremamente divertido. Dito isso, é importante ressaltar que o estágio possui uma curva de aprendizado. Ainda assim, o foco em como a fase é jogada e em como se desenvolve mostrou-se muito grande e é um ponto forte a favor do jogo – confira no rodapé o embate e não se esqueça de deixar nos comentários sua opinião entre Green Hill Paradise VS Sonic Utopia, nos falando qual destes você gostou mais.

Gráficos – apesar de ser feito na UDK, o título conseguiu ter uma identidade própria. Ressalte-se, porém, que isso não é muito difícil. Após um conhecimento intermediário de como os materiais e iluminação se comportam, o designer consegue quebrar o visual padrão e fazer algo melhor, com uma certa facilidade.

Gameplay e level design – este jogo faz com que esses elementos sejam tão unidos que fica difícil saber se o level design de certas partes foi criado especificamente para melhorar o gameplay ou para ressaltar o visual/utilidade do game. É um jogo que está preocupado na experiência em todos os aspectos, mesmo os da jogabilidade, como é visto nos trailers explanativos no canal do desenvolvedor.

PRÓS:

  • Jogabilidade, aplicação da ideia e gráficos caprichados.

CONTRAS:

  • Controle poderia ser um pouco mais fácil de manobrar.

SONIC SOULS

Video Thumbnail

Download do jogo completo (3.04gb).

Sonic Souls é o último jogo desenvolvido na UDK + Sonic GDK do qual eu vou falar. Logo, podemos esperar pelo menos controles bem feitos. Vou ter um tom um pouco mais divertido nesse review.

Este jogo é interessante. Para começar, foi construído por uma só pessoa, o Doky, que não sabia nada sobre desenvolvimento de jogos, mas viu a plataforma à disposição e colocou a mão na massa. É possível ver uma grande influência do Sonic World ali (isso se Sonic Souls não for mais longe e também não quiser ser a maior concorrência deste, o que é bom, pois assim os projetos rivalizam e melhoram cada vez mais). Uma aspecto louvável, desde já, é a iniciativa de fazer alterações técnicas, mesmo com as limitações da engine: o dev realmente conseguiu alguns feitos bem interessantes, já em outros aspectos, como a aplicação destes feitos, nem tanto… esse jogo é uma total bagunça, sem pé nem cabeça. O senso crítico mandou lembranças.

Gráficos – Só elementos retirados do conteúdo padrão da engine e da internet, ou seja, copiar/colar, copiar/colar, copiar/colar e depois selecione todo o texto colado e copiar/colar, copiar/colar, copiar/colar. São objetos e efeitos que você poderá ver em diversos outros jogos feitos com a engine UDK.

Gameplay – Cansado dos seus fã-games convencionais? Cansado de abrir jogos gratuitos que, mesmo sendo diferentes, parecem exatamente a mesma frescura classicista 2D? Cansado de ver fãs falando de sistemas de gameplay que todo mundo conhece de cor? Pois seus problemas acabaram! No Sonic Souls você conta com o controle Sonic GDK, um mundo para explorar, dois a quatro jogadores, cinco corridas, sete chefes, trinta e cinco (você não leu errado, trinta e cinco!) personagens jogáveis (achava que Sonic Adventure tinha muitos, né? Pois azar o seu, você errou…), trinta fases ‘extras’, super transformações (incluindo Super Big, Super Marine, Super Amy) e cento e oitenta anéis vermelhos para você poder liberar as hyper formas. Tudo isso sem pagar nada e sem aparecer um mísero comercial da Polishop. Jogue fora sua coleção de jogos do Sonic (não, não faça isso, mande pra mim), delete aquelas pastinhas cheias de fangames, rom hacks, mods e jogos de PC, pois Sonic Souls tem tudo isso e muito mais!

Sério, esse jogo tem coisa demais. Sabe… mais qualidade, menos quantidade, pois bem. Menos é mais, pessoal, nem vou comentar nada.

Level Design – que isso?

Esse jogo tem breves momentos de lucidez no level design, no mais, é um vale tudo e salve-se quem puder, cada um por si.

PRÓS:

  • Inovação, mesmo que mal aplicada;
  • Conteúdo, mesmo que mal utilizado;
  • Grande vontade do criador de fazer algo legal e força de vontade por ter levado essa ideia tão longe.

CONTRAS:

  • Prefiro omitir a minha opinião, nessa.

SONIC WORLD

Video Thumbnail

Download do jogo completo (799.21mb).

Jogos feitos na BlitzSonic já são do meu conhecimento há muito tempo, porém nunca tive interesse por eles, pois, por diversas razões, não me adaptava com o funcionamento da engine. Dito isso, Sonic World é um jogo baseado na Blitz que conseguiu muita popularidade, em boa parte porque atingiu aquela massa jovem vidrada em jogos sandbox, como Minecraft, e que tinha o sonho de criar suas próprias fases ou até mesmo jogos. Pode não ser a melhor e mais amigável ou tecnológica plataforma para fã-games das que existem por aí, porém tem recursos o bastante para garantir uma grande massa de usuários e jogadores criar jogos e mods, se tornando a mais popular entre essa faixa etária/público-alvo.

Sonic World é o jogo que mais se popularizou dentre todo o conteúdo criado na BlitzSonic. Seja por sua quantidade assustadora de conteúdo ou por ser uma plataforma popular. O jogo tenta imitar os jogos da série adventure, conseguindo fazer isso com algum sucesso, até sendo levemente melhor em alguns aspectos, o que foi uma surpresa, pois a BlitzSonic sempre teve fama de ser descontrolada, ter o freio”sabonete” e possuir gráficos fraquinhos.

Gráficos – não esperava boa coisa neste quesito, mas, apesar disso, admito que algumas fases ficaram bonitas, como as duas primeiras do Heroes, outras não tinham iluminação ou possuía texturas distorcidas/ borradas. Erros de principiante em 3D. Porém, as duas fases que mencionei ficaram bem feitas e provam que é possível se fazer fases boas na plataforma.

Gameplay – foi outra coisa que me surpreendeu. Eu já não esperava um personagem “sabonete”, pois já havia visto vídeos com esse problema resolvido. O que percebi é que o controle é meio afrouxado para certos movimentos, o que acaba ajudando a deixar o personagem fácil de se controlar. Há ações inéditas, como usar um Jump Dash após cair ou passar numa Dash Ramp, o que é impossível num título oficial. Mas o modo Match Dash, especialmente numa fase chamada Worst Cave, foi horrível.

Level design – ele teve seus momentos brilhantes e seus momentos de esquizofrenia. A Crisis City, apesar de sua falta de iluminação adequada, ficou bem frenética e se não fosse por alguns Egg Pawns com lança e colisão esquisita, eu teria terminado a fase com um monte de anéis. City Escape, porém, já foi uma completa piada, pois a fase não fazia sentido algum: um monte de inimigos de dificuldade diferentes abarrotados num mesmo espaço.

Trilha sonora – começa com a música tema do Capitão Falcon do FZero GX, jogo que tenho até hoje, e isso rendeu uma boa risada. De resto não tenho nada a falar das músicas. São músicas de outros jogos, então realmente, não é possível emitir uma opinião, pois não há originalidade.

PRÓS:

  • O jogo melhorou bastante desde que começaram o projeto;
  • O título é bom para passar o tempo, divertido em diversos momentos;
  • Muito conteúdo.

CONTRAS:

  • Gráficos de várias fases precisam ser melhorados;
  •  Algumas fases com level design horrendo poderiam ser deletadas e recomeçadas do zero.

SONIC UTOPIA

Video Thumbnail

Baixar demonstração (85.20mb).

Esse aqui deu trabalho porque precisei de muito tempo jogando-o, pois queria verificar se as críticas que li em fóruns tinham algum fundamento.

Sei que muitas pessoas estão muito maravilhadas com o jogo, pois ele mostra um conceito aberto abordado corretamente, mas, esse mesmo conceito é o alvo das críticas. Eu tenho alguns pontos a comentar sobre algumas escolhas feitas neste projeto, com as quais não concordo pessoalmente, mas que, de forma alguma, não significam uma crítica negativa. Foram escolhas pessoais dos desenvolvedores que acredito terem sido influenciadas por suas experiências de vida e pela época e ambiente em que o Sonic foi apresentado a eles.

Gráficos – Os gráficos ficaram bons, sem muitos detalhes gritantes, principalmente nos objetos de fundo, onde foram escolhidas cores sólidas ao invés de texturas. De início, foi um impacto ver aqueles tons de verde se movendo rápido pela tela, mas o olho se acostuma rápido. O estilo pode não ser uma boa para quem não gosta de gráficos muito coloridos, como foi a reação do meu irmão, quando lhe mostrei o jogo. O único ponto negativo que vejo nesse quesito é uma infantilização no visual. Parece um jogo cartoon demais.

Level Design – esse quesito está exatamente de acordo com a proposta dos desenvolvedores, visto a forma como eles enxergam os clássicos: Cartoon americano. É comum ver norte-americanos tentarem encaixar o Sonic no estilo de desenho com o qual eles estiveram acostumados durante sua infância. Eu, particularmente, não posso concordar com essa estética, pois prefiro algo que lembre mais o OVA: menos infantilizado. Apesar de o jogo ter contado com muitos elementos do Sonic CD e do Sonic OVA, eles foram trabalhados para uma variação cartoon, que não acredito ser a melhor reimaginação possível, na ideia que o jogo propôs, mas isso é um ponto pessoal.

Gameplay – esse ponto não é possível criticar. Vê-se a boa implementação da física clássica que se não está 1:1, ou seja, uma reprodução fiel, está algo extremamente próximo. Joguei com um controle de Playstation 2 e não tive problemas em nenhum momento. Apesar disso, gostaria de uma câmera manual, pois às vezes olhar para cima teria ajudado. Destaque-se também o fato de o personagem ter um limitador de rotação, quer dizer que você não pode simplesmente fazer uma curva acentuada com ele. Isso não existia, obviamente, nos clássicos, por serem 2D, mas levando em conta como o freio funcionava naqueles jogos, parece ser uma mecânica que combinou.

Trilha sonora – As músicas receberam o mesmo tratamento da arte, infantilizado e meloso, agravadas pelos apitos dos animais ao serem libertados. Havia alguns momentos do jogo em que desejei mutar o som, por serem sons melosos e adocicados que não tem nada a ver com o Sonic 1 ou o CD, como notas propositalmente trocadas e outros truques. Alguns instrumentos escolhidos, porém, combinaram, apesar de também aumentarem ainda mais essa sonoridade irritante. Essa escolha estética na música foi um exagero e é a maior das críticas que tenho a fazer ao jogo. Como dito, é um aspecto mais pessoal, mas creio, porém, que muitos estranharão no jogo e concordarão com a minha visão.

Um pensamento que me vem à cabeça, com uma fase em que passei 30 minutos jogando, é que a música tem que ter alguma agitação, algo que te impulsione a correr, pois se a fase não tivesse tanto conteúdo (apesar de pouco variado: sendo basicamente os anéis, itens e inimigos), rapidamente se tornaria cansativa para o jogador. Uma característica que acabou com a agitação da música original foi a ausência de uma bateria ou outro instrumento de percussão em alguns momentos, além da maior evidência que poderia ter em outros. A música, infelizmente, não ajudou na experiência, pelo contrário. Se eu ouvisse ela sem o jogo, provavelmente ficaria com sono.

Apesar desses problemas, sei que todo mundo, assim como eu, gostou do jogo e fico feliz de que a minha maior crítica não tenha relação direta com o gameplay.

PRÓS:

  • Controle sólido;
  • Física clássica aplicada corretamente;
  • Excelente aplicação do conceito aberto num Sonic, especialmente clássico;
  • Jogo coerente, no geral.

CONTRAS:

  • Gráficos infantilizados;
  • Música e efeitos sonoros irritantes, infantilizados e melosos.

Na próxima parte do artigo, passaremos a abordar os jogos com gráficos 2D, não perca!

EMBATE: Qual você preferiu? Deixe sua opinião nos comentários!

Revisado por Paulo Henrique.

– Artista 3d, especializado em diversos programas, como 3Ds Max, Photoshop, ZBrush, Unreal Engine, Substance Designer/Painter, Speedtree e outros. Desenvolvedor e fundador do Sonic Evolution.

8 Respostas

  1. Err, amigo acho que vc tem um grande problena entre diferenciar surrealismo e cartoon gráficos de infantilidade, que é algo completamente diferente. Os jogos clássicos NUNCA tiveram foco em público infantil, até mesmo jogos modernos como o Lost World que tem um modelo artístico misturado de cartoon e surrealismo ñ foi focado apenas nas crianças, e bem surrealismo é que realmente havia nas fases clássicas, se extendendo até mesmo em jogos 2D do Moderno, esse é o caso do Utopia, não “um jogo com gráficos infantilizados”, mas surrealistas e isso nunca deveria ser utilizado como ponto negativo como vc citou, um “Contra”.

    • Mas mesmo que a série Sonic seja direcionada ao público adolescente, isso não impediu a Sega de atrair fãs de idade pré-escolar e infanto-juvenil pra franquia nos anos 90.

  2. Sonic World foi meu preferido aí. Puta jogo lotado de conteúdo!

  3. Como assim “Gráficos infantilizados” são um ponto contra no Sonic Utopia? Eles são do mesmo jeito dos primeiros Sonics, estão bonitos e fazem muito mais sentido que os outros que buscam gráficos realistas para um jogo de um porco espinho azul que corre, e sem falar que de todos os jogos que mostrou, esse foi o único que deu a sensação de velocidade na corrida do Sonic. Esse foi o estilo artístico do jogo, e estão muito fantásticos. me fez lembrar de quando jogava Sonic 2 no meu Mega Drive. A mesma coisa dos efeitos sonoros, estão de acordo com os primeiros Sonics, não achei tão irritantes ou melosos e nem um pouco infantilizados.

    Vlw, ótimas analises, obrigado por divulgarem esses jogos

    • Verdade, esse analista só sabe acompanhar séries que enganam o público com aparência infantilizada pra pensar que a série Sonic é pra todos os fãs antigos, é mais um motivo pra respeitar a faixa etária de uma série.

      • Ah é, como sabe o que eu acompanho ou não? Eu analisei o jogo como desenvolvedor. Não precisa concordar com minha opinião. Nem acho que a série é para os fãs antigos, e sim para todos. Muitas suposições da sua parte em algo que deixei claro que era o que era opinião pessoal e crítica no caso do Utopia.

      • Esse é o problema de atrair fãs antigos, eles só reclamam porquê a formula é a mesma do anterior. Uma franquia não pode ser atrativa da forma que o público quer porquê eles não tem nada a ver com quem faz os jogos.

Deixe sua Opinião

Esqueci a Senha

Registre-se na Epic. É rápido!